SOLUBILIDADE

GOSTARÍAMOS QUE VOCÊ ACOMPANHASSE O EXPERIMENTO ABAIXO ANTES DE PROSSEGUIR.

Preste atenção e anote suas observações, o experimento será visto novamente mais tarde !!! !!!

LABORATÓRIO

escreva para nós as suas observações do que foi visto!!

 

Aperte aqui para limpar os dados.

Aperte aqui para enviar os dados

 

Solubilidade pode ser conceituada como a capacidade de uma substância de se dissolver em outra. Esta capacidade, no que diz respeito a dissolução de um sólido em um líquido é limitada, ou seja , existe um máximo de soluto que podemos dissolver em certa quantidade de um solvente. Isto é solubilidade.

A temperatura interfere na capacidade de dissolução de um solvente com relação a um certo soluto, desta forma a cada temperatura teremos um determinado valor para a solubilidade.

Veja por exemplo , como varia a solubilidade do cloreto de potássio: KCl a diferentes temperaturas

 

Temperatura ( ºC)

Solubilidade de KCl (g/100g de H2O)

0

27,6

10

31,0

20

34,0

30

37,0

40

40,0

50

42,6

60

45,5

70

48,3

80

51,1

90

54,0

100

56,7

 

 

Tipos de soluções em relação à capacidade de solubilidade

  1. Insaturada = é a solução que contém quantidade de soluto inferior à capacidade máxima de dissolução do solvente, sendo ,portanto, capaz de dissolver nova adição de solvente.
  2. Saturada = é aquela que não é capaz de dissolver nova adição de soluto, na prática é reconhecida pela presença de corpo de fundo (resíduo sólido no fundo do recipiente)
  3. Supersaturada = é uma solução instável, que contém dissolvida em quantidade de soluto superior à necessária para a saturação.
     


Em relação a quantidade de soluto, podemos classificar as soluções em diluídas e concentradas.
 

As soluções diluídas contém pouco soluto em relação ao solvente.
  As soluções concentradas contém muito soluto em relação ao solvente
 
  O mecanismo de dissolução

Considere o que acontece quando um sólido é adicionado a um líquido para formar uma solução (líquida):

Quando o soluto é adicionado, começa o processo de destruição da estrutura do estado sólido do soluto.

 Pouco a pouco, partículas do solvente atacam a superfície do retículo cristalino, removendo partículas do soluto, rodeando-se e, finalmente, as dispersando.

O resultado é a destruição da estrutura do soluto e a alteração da estrutura do solvente (agora existem algumas partículas do soluto onde antes havia apenas solvente).

 

A facilidade com que tudo isso ocorre depende:

das intensidades relativas das forças entre as partículas próximas do soluto (interações soluto-soluto)

e

entre as partículas do solvente (interações solvente-solvente) antes do processo de dissolução,

e

as forças entre as partículas do soluto e as do solvente (interações soluto-solvente) após a dissolução.

 

À medida que ocorre a dissolução, as forças soluto-soluto e solvente-solvente são substituídas pelas forças soluto-solvente.

Existe uma antiga generalização que diz: "semelhante dissolve semelhante". Isto significa que um solvente dissolverá um soluto se eles tiverem estruturas semelhantes.

Geralmente solventes polares tendem a dissolver solutos polares, e solventes não polares a dissolver solutos não polares, mas há exceções.

AGORA GOSTARÍAMOS QUE VOCÊ RESPONDESSE ALGUNS EXERCÍCIOS!!!!

OBRIGADA POR RESPONDER!!!!



escreva para nós as suas dúvidas, críticas e sugestões !!

Seu nome completo:

Seu e-mail:

Sua idade:

Sua escola:

Aperte aqui para limpar os dados.

Aperte aqui para enviar os dados